Eterno Olhar

Há uma saudade 

Que me embala

Ao teu encontro,

Seguindo a lembrança

Da tua voz,

Que não faz mais

A viagem do retorno…

Só hoje,

Gostaria de abraçar-te, mãe;

Sentir a tua vida

Perto da minha,

Tocar a campainha

E encontrar o teu sorriso

(Algumas horas de diálogo

 E o teu olhar me protegendo).

Mas, este teu olhar

Ficou em mim

Num suspiro

Da tua presença…

Suzete Brainer (Direitos autorais registrados)

Para o Leitor:
Você irá mergulhar no diário de memórias de uma gata preta vira-lata, com um senso de humor cativante e desconcertante, que imprime a quem ler o seu ponto de vista peculiar sobre os humanos, os gatos e a realidade cotidiana dela, com a sua família humana (mãe e pai) e o marido (o gato siamês Shan). Tudo narrado com o seu narcisismo, possessividade e com propriedade da sua autoestima elevadíssima, dosada com o amor exagerado pela sua mãe humana, considerando-se imprescindível para a felicidade dela e do núcleo familiar. Como ela afirma: “todos precisam de mim e do meu olhar atento para a vida deles…”
Deixe a Chanel entrar na sua vida com a simplicidade da alegria que ela irradia, com os gestos exagerados do amor, desnudando o ciúme, o valor da singularidade e a aceitação das fragilidades e imperfeições de quem ama e é amado.
Boa leitura!
Suzete Brainer – Escritora, Psicóloga Clínica.

Quero Ler Você, Chanel

Deixe um comentário